Parceria entre RNP e Telebras aumentará conectividade das universidades federais

Projeto foi anunciado ontem, em Brasília

Na tarde desta quarta-feira (30/11), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e a Telebras anunciaram o início de um projeto piloto para integração de universidades (IFES) e institutos tecnológicos federais (IF) em alta velocidade à rede acadêmica nacional (rede Ipê). Durante a reunião da Associação Nacional dos Dirigentes das IFES (ANDIFES), realizada na mesma data em Brasília, foi discutida com os reitores de universidades federais uma parceria entre RNP, Telebras e IFES/IF para aumentar o acesso à rede acadêmica nos campi no interior para velocidades de conexão a partir de 100 Mbps.

O projeto piloto será realizado em dois estados. No Tocantins, o objetivo é integrar os campi da Universidade Federal (UFT) e do Instituto Federal (IFTO) do estado, localizados em Gurupi, ao PoP-TO, que está na UFT, em Palmas. Em Goiás, o campus do Instituto Federal de Goiás (IFG), em Anápolis, será conectado ao PoP-GO, localizado na Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia.

A Telebras e a RNP ampliarão a infraestrutura de backhaul nas localidades com campi no interior de forma a permitir a conexão em maior velocidade das instituições de educação e pesquisa à rede Ipê, backbone nacional para pesquisa coordenado pela RNP.

Este acordo também permitirá à Telebras acelerar a implantação de suas estações de transmissão nos municípios no interior, favorecendo o atendimento de outros clientes nessas localidades, no contexto do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL).

Atualmente a RNP interliga cerca de 800 organizações usuárias, entre universidades, institutos federais, hospitais de ensino e museus através de Pontos de Presença (PoPs) Estaduais. A estes PoPs são interligadas os campi localizados em área urbana, a 1 Gbps. As conexões aos campi do interior, atualmente limitadas em abrangência e velocidade, constituem o alvo inicial do acordo de cooperação com a Telebras, e representam cerca de 350 instituições.

Segundo o diretor geral da RNP, Nelson Simões, a execução deste projeto piloto permitirá avaliar os modelos e os resultados obtidos para sua extensão a outras universidades e institutos federais no Brasil. Isto não só acelera a ampliação da capacidade de conexão das instituições de educação e pesquisa no interior, essenciais para a colaboração a distância em várias áreas, especialmente nas aplicações de Educação e Saúde, como também melhora as condições para a atração e fixação de recursos humanos nestas cidades.

Os reitores das universidades beneficiadas neste primeiro momento destacaram a intensa produção científica realizada nos campi localizados no interior dos estados e necessidade de dispor de banda larga em alta velocidade para viabilizar as atividades acadêmicas. "É fundamental termos uma conectividade que permita, além da comunicação, também os processamentos cada vez de mais alta velocidade no ambiente universitário. Isso implica em mais pós-graduação, pesquisa de melhor nível, fixação de docentes bem como benefícios para a sociedade naquele local", frisou o reitor da Universidade Federal de Goiás, Edward Madureira Brasil.

Para o reitor da Universidade Federal do Tocantins, Alan Barbiero, "esses 100 mega de velocidade de banda colocarão o campus de Gurupi conectado com o mundo e fazendo com que possa cumprir melhor a sua missão". O presidente da Telebras também ressaltou na ocasião a relevância desta parceria não apenas para as universidades federais e comunidades acadêmicas, mas para a população em geral.

Bonilha disse que a rede nacional de telecomunicações ligará Fortaleza a Porto Alegre, pelo interior, até o primeiro trimestre de 2012 e que segundo trimestre conectará essas duas capitais pelo litoral. Ele destacou ainda a atuação da Telebras no fomento à tecnologia nacional na área de telecomunicações. As compras feitas pela empresa priorizam produtos com tecnologia desenvolvida no Brasil.

Sobre a RNP:

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), mantida pelos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Educação (MEC) e da Cultura (MinC), é classificada como Organização Social (OS) sem fins lucrativos. Pioneira no acesso à Internet no Brasil, a RNP opera a rede Ipê, primeira rede óptica nacional acadêmica da América Latina. Com Pontos de Presença em 27 unidades da federação, a rede tem mais de 800 instituições conectadas. São aproximadamente 3,5 milhões de usuários usufruindo de uma infraestrutura de redes avançadas para comunicação, computação e experimentação, que contribui para a integração entre o sistema de Ciência e Tecnologia, Educação Superior, Saúde e Cultura.

Sobre a Telebras:

A Telebras participa do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) que visa massificar a internet em alta velocidade no país. Para isso, a empresa está implantando uma rede nacional de telecomunicações para reduzir os custos da Internet no atacado para pequenos provedores por todo o país. A Telebras também atua na implementação de uma rede de comunicação da administração pública federal e prestar suporte a políticas de conexão à internet em banda larga para universidades, centros de pesquisa, escolas, hospitais e outras localidades de interesse público.A meta é chegar a cerca de 4,3 mil municípios até 2014.


[RNP, 30.11.2011]
Contato: imprensa@rnp.br





ícone Lupa
ícone Lupa

Restringir à: Título Sub-Título Descrição Conteúdo

Data de Início: Data Fim:

Formulário de assinatura