Com apoio da RNP, Ebserh participa de projeto de colaboração para prevenção contra ameaças cibernéticas

A Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) agora faz parte de um projeto de colaboração para detecção de ameaças cibernéticas graças a uma parceria inédita costurada pelo CAIS (Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança) da RNP com a CEDIA (Corporação Equatoriana para o Desenvolvimento da Pesquisa e a Academia), responsável pela Rede Nacional de Pesquisa e Educação do Equador, e The Shadow Server Foundation, organização sem fins lucrativos que promove a cibersegurança a nível mundial.

O Projeto Sensores.lat, da qual a Ebserh passou a ser colaboradora, é utilizado para  identificar a atividade maliciosa por meio de uma rede de sensores instalados em instituições da América Latina e do Caribe. Os equipamentos coletam informações sobre ataques cibernéticos no continente utilizando honeypots distribuídos nos países.

O ‘pote de mel’ para enganar hackers

Como o nome indica, a tecnologia funciona como uma ‘armadilha’ para criminosos digitais. “O honeypot é um sistema configurado de maneira vulnerável. Ele faz usuários maliciosos acharem que se trata de um alvo real, quando, na verdade, não é. Quando os usuários maliciosos entram no sistema, é possível entender o comportamento desses usuários, e essas informações podem ser utilizadas para tornar nossos ambientes mais seguros”, diz Rodrigo Facio, colaborador da RNP que coordenou a implementação do projeto.  “Todas as atividades dos usuários maliciosos, como ele age, quais comandos foram executados, seu IP de origem, geram insumos para que consigamos entender seus passos e assim possamos proteger melhor as nossas redes”, complementa Facio.

O projeto Sensores.lat é coordenado pela CEDIA, em cooperação com o The Shadow Server, e utiliza honeypots e de maneira distribuída entre os países e tem o foco principalmente em Internet das Coisas (IoT). Desta forma, a identificação e o mapeamento da atividade maliciosa são compartilhados com 109 equipes de segurança - centros de resposta a incidentes de segurança (CSIRT) e mais de 5.000 organizações (proprietários de redes) ao redor do mundo, será instalado ao menos 50 sensores em 15 países.

Números segurança ebserh

 

Baixo custo de operação e alto retorno para o ecossistema de segurança

A RNP, que vem apoiando a estrutura da Equipe de Tratamento de Incidentes de Redes da Ebserh, implementou os sensores em duas localidades em Brasília e pretende expandir futuramente. A iniciativa promete melhorar o ecossistema de cibersegurança da rede de hospitais.

“É um projeto muito interessante para todos, porque demanda baixo custo de operação e implantação. Além disso, as equipes de segurança ganham através da troca de informações e visibilidade das atividades maliciosas em cada país”, ressalta Facio.

Assim, os sensores honeypot podem contribuir decisivamente para superar um dos principais desafios da atualidade no combate a crimes cibernéticos: a identificação da origem e os modos de ação dos usuários maliciosos. A ferramenta é particularmente relevante num ambiente cada vez mais digitalizado de prestação de serviços públicos, em que a dimensão da cibersegurança é imprescindível para o funcionamento desses serviços.

Sobre a Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação, a Ebserh tem a finalidade de prestar serviços gratuitos de assistência médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico à comunidade, assim como prestar às instituições públicas federais de ensino apoio à pesquisa e à extensão, ao ensino-aprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública.

;